Gato em dia

A criança que tarda

O elevador tardava. É sempre assim quando se está à espera. Tudo tarda. Ele sorriu timidamente e disse num português de quem vem de fora “Boa Noite”. Continuaram à espera, até que ela lá se decidiu e perguntou-lhe de sorriso tímido “O elevador costuma parar?” Ele ouviu a pergunta e pensou que tinha reencontrado algo …

Continue Reading
Gato em dia

Manifesto Primavera

É a estação do alívio. Inspira e enche a barriga de ar, expira e esvazia-a de todo o ar que lhe deste. Agora fecha os olhos e repete. Conta até quinze, dá-me a mão e não penses mais no que te faz parar. É a estação dos dias mais crescidos, do sol mais quente e …

Continue Reading
Gato em dia

A Cidade das mil portas

São mil. As portas. Fechadas. Entreabertas. Que se fecham e que se abrem. Madeira, metal e vidro. Pintadas de fresco durante semanas a fio. Conta gotas, como o tempo que passa quando sofremos. Entrar e sair como o bater asas de asas que me inspira nesta tormenta de palavras indisciplinadas que escrevo sem pensar. Mas …

Continue Reading
Gato em dia

Rolava a cabeça ensanguentada de Marie Antoinette

Rolava a cabeça ensanguentada de Marie Antoinette pelo chão imundo de Paris. Foi apanhada por um parisiense gordo, baixo, calvo e narigudo, Pierre de nome, carrasco de profissão. Ao mesmo tempo, andava o resto do seu corpo sem cabeça a correr, louca como um pente à procura da sua cabeça, perfumada, altiva e imponente. Marie …

Continue Reading