A Gato come

Finalmente fui à Pensão Borges

Num ano “normal” teríamos ido almoçar à @pensaoborges em dia de festa em Baião, e as ruas estariam repletas de feirantes a vender produtos regionais como o biscoito da Teixeira. Mesmo sem festa, serviram-se centenas de almoços neste domingo, prova de que o prazer da comida desencadeia verdadeiras romarias. 

Além do superlatividade da refeição, é a honestidade e bondade que aqui nos faz sentir em casa. Desde 1985 que a família do @antonioqueirozpinto recebe como se recebem os nossos: de braços abertos, um sorriso rasgado e uma mesa farta. Começa-se pelo bazulaque, um verdadeiro tesouro gastronómico do nosso país, feito de vísceras de animais, que rezo para que não se extinga como tantas outras tradições.

Trinca-se a broa de milho, parte-se para a aventura com umas sedutoras tripas à moda do Porto, entre outras entradas, num bonito passeio de sabores imemoriais que desemboca no famoso anho e o seu arroz de forno, acompanhado de legumes cultivados pelos próprios. 

Mas tenho de voltar atrás e falar da majéstica alheira que, de fino recorte, textura suave mas amplo sabor, quisemos saber de onde vinha e onde podíamos comprar para forrar a despensa lá de casa. Ora, não é de compra sendo mais uma preciosidade nascida de amor e saber que está família imprime em tudo o que faz.

Quatro horas depois, seguimos viagem deixando Baião para trás, cheios, felizes e convictos de que temos o melhor país, a melhor gastronomia e as melhores pessoas do mundo.

Obrigada António por nos receberes sempre tão bem!

Leila Gato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *