A Gato come Em movimento

É um Restaurante

Fui finalmente conhecer o É um Restaurante à boleia do evento Wineday que desta vez uniu duas paixões… e uma causa social.

Mas vamos por partes.

O que é o Wineday?

Para quem ainda não está familiarizado, o Wineday é um evento que ocorre com alguma regularidade nalguns espaços como garrafeiras e que nos permite assistir e conversar com um convidado especial. De acordo com o tema escolhido pelo convidado, é-nos apresentado um vinho que vamos degustando ao longo da noite.

Desta vez, em vez de irmos a uma garrafeira, fomos ao É um Restaurante e o valor de entrada no evento, contribuiu na íntegra para esta causa. Enquanto conversávamos sobre o que define uma boa cozinha e uma boa experiência gastronómicas, degustámos alguns vinhos da Quinta Brejinho da Costa sugeridos pelo sommelier Sérgio Antunes.

O que é o É um Restaurante?

Um projeto de apoio social da Associação Crescer, com supervisão do Chef Nuno Bergonse, que abriu as portas em Lisboa no final de 2019, para dar uma nova oportunidade de reinserção social a quem já viveu na rua. Na cozinha, dia pós dia contamos com a liderança do Chef David Jesus e ainda antes de partilhar com todos o que provei, digo-vos já que devem todos lá ir um dia destes.

O que comeu a Gato?

Pão (Gleba) com manteigas Boua de tomate seco e manjericão e alho assado e tomilho acompanhadas de cenouras à algarvia

Sobre as manteigas Boua, um projeto do Chef Nuno Bergonse partilharei mais detalhes em breve. Fica a promessa.

Batata doce (mas brava)

Peixinhos da horta com molho tártaro

Tiborna com escabeche de pato e uvas

Sopa de castanhas com marmelada e funcho

Pica pau de polvo com batata doce e coração de alface

Bochechas de porco preto com farofinha e aipo

O eleito da noite (quase por unanimidade)!

Rabanada com caramelo e gelado de cardamomo

Mais do que sair para comermos e estar com quem mais gostarmos, ao optarmos por ir ao É um restaurante estamos a ajudar muitas pessoas a ter uma segunda oportunidade através de formação profissional no mundo da restauração e consequente integração no mercado de trabalho.

Leila Gato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *