A Gato come

Crispy Mafya – Príncipe Real

Fui visitar o Crispy Mafya a convite, para finalmente provar aquele que é apelido pelos próprios como o melhor frango da cidade!

O nome levou-me a pensar que estaria a caminho de um espaço altamente secreto (o que também seria improvável no Príncipe Real) para encontros de mafiosos que gostam de frango frito ou quem sabe uma espécie de confraria secreta do frango frito.

Ao percorrer a Rua da Escola Politécnica, fui sendo orientada até ao restaurante por sinalética bem esgalhada e divertida, fazendo-me antever um lugar com ambiente de american diner e era para isso que estava preparada. Depressa percebi que, mesmo com os neons de “Soul feed”, ali o ambiente é multicultural e evita catalogações fáceis – as mesas são pequenas, há plantas e luzes presas na zona do bar, há molduras
antigas nalgumas das paredes -, num mix entre um lugar moderno e urbano europeu e um espaço meio perdido à beira de uma estrada dos EUA.

A música é uma parte importante do ambiente criado, com playlists de Hip-Hop, R&B e Soul (que podem ouvir no Spotify) e que assentam em hits mais modernos que a Gato já não conhece tão bem. Ainda joguei um jogo com a minha companhia: quem identificasse mais músicas pagava o próximo jantar no Crispy Mafia!

A Gato identificou uma música do Drake e por momentos pensei que iam passar o Shook Ones Pt II, o clássico dos Mobb Deep mas era só um sample…portanto, as próximas wings e crispy chicken burgers ficam por minha conta!

Vão dar por vós a comer e a abanar a cabeça involuntariamente mas cuidado com os gang signs, nunca se sabe se algum membro dos Crips ou dos Bloods veio a Lisboa e teve desejos de frango frito!
Mas vamos ao que interessa. O que é a Gato comeu com estas mãozinhas gulosas?

Provei as asas de frango

“As mais picantes que tiver, por favor”. Foram-me sugeridas as wings com molho Búfalo.

Estas parecem ter um inspiração mais asiática – não é só na América que se comem asas de frango – e estavam suculentas, sem qualquer crosta exterior de polme. A matéria prima é de qualidade, sem dúvida e as asas eram pequenas e suculentas. O molho a princípio “não picou” mas depressa se começou a apoderar do interior da minha boca e umas pequenas labaredas começaram a ganhar expressão, para meu grande gaúdio!

E a seguir? Não ficámos por aqui…provei dois hambúrgueres que sou uma pessoa de muito alimento.

Tower Burger

O hambúrguer melhor conseguido da noite, com uma acertada combinação de ingredientes.

Novamente, nota excelente para a qualidade da carne do frango, o polme ganha aquela consistência simultaneamente suave e crocante, e que amacia o seu interior não permitindo ponta de secura.

Este hambúrguer é servido em pão de brioche com queijo suíço, alho de trufa branca aioli, geleia de cebola e alface e um bolo de batata no seu topo, que tem como intenção dar um toque diferenciador. Fico com algumas dúvidas se seria mesmo preciso este topo mas a verdade é que resulta! Foi o meu preferido!!

Hot n’ Honey

O segundo melhor da noite, o que nesta competição é um prémio bem bom!
Este hambúrguer é também servido em pão de brioche com coleslaw (salada de repolho com alguma maionese), jalapeño e pickles. Uma mistura muito fresca, mas também picante e ácida com o “punch” dado pelo pickles mais avinagrados. É uma combinação feliz e que merece ser trincada.

Nota: os acompanhamentos são pedido à parte mas os preços são bastante
razoáveis. Eu optei por batatas fritas (aquele clássico), mas também têm salada, batata doce, mac n’ cheese e waffle (salgada).

As waffles são uma constante nesta carta e embora rapidamente tenha percebido que é da preferência geral pelo público-alvo deste lugar, mantive-me numa linha mais clássica e deixei-os os waffles e cones para uma segunda volta que espero que aconteça ainda este ano.

Ainda houve espaço para uma sobremesa (totalmente desnecessária, eu sei).

Tower Cup

De todas as opções, aquela que me fez cair os olhos foi a Tower cup.
Um copo alto que leva gelado de baunilha , creme de caramelo, nozes de macadamia, chantilly e pedaços de bolacha americana.

Uma sobremesa capaz de satisfazer as necessidades mais calóricas de uma
esfaimada como a vossa Gato mas que achei que poderia ser alvo de um revamp no que respeita ao empratamento e à revisão do respetivo preço que senti ser excessivo.

Se o Crispy Mafya é um lugar de ir?

É pois!

Tem ambiente e espírito, um conceito aberto e que acolhe diferentes culturas, comida feita e servida com muito gosto, sempre ao som de beats apurados como os molhos da casa.

Por isso, se procuram um sítio para um jantar animado e que vos encha (e bem) a barriga antes de uma noite pelas ruas da zona e arredores, libertem a alegria que um mafioso desperta em vocês e juntem-se ao grupo!

Crispy Mafya Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Leila Gato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *