A Gato come

Bianco delizioso – Baixa

Ó Gato tens um erro nessa frase, disseste que ias comer uma pinsa, mas querias dizer pizza não era? Não!

Para quem não sabe, como eu não sabia, muito perto de Roma há uma localidade de nome Abruzzo que guardava, até há dois meses atrás, dois segredos preciosos: os arrosticini e as pinsas.

Abruzzo é uma zona montanhosa e com uma grande património histórico que normalmente fica de fora dos roteiros turísticos, o que é uma pena porque a avaliar pela qualidade destas duas tradições gastronómicas, eu era pessoa para me meter num avião e ficar lá umas boas semanas. Não sendo possível de momento, posso ir até à Rua dos Fanqueiros e ter uma experiência autêntica no novíssimo Bianco Delizioso.

A simpatia parece fazer parte do ADN deste lugar, pois foi com sorrisos que serviram a Gato desde o momento em que aqui entrei até ao momento em que me despedi de todos.

Assim que me sentei comecei a descobrir aquele lugar onde o branco predomina e que de tão espaçoso consegue até acolher uma lindíssima oliveira dos Açores que serviu de abrigo para a mesa da Gato.

“Olá o meu nome é Stefana e sou italiana mas quero muito falar em português. Só vos peço que falem um pouco mais devagar.” Conheci a bonita, simpática e profissional Stefana com quem pude praticar o meu enferrujado italiano e em quem ela pôde contar com uma aliada solidária na aula possível de português.

Para começar o nosso repasto, Stefana trouxe-nos três azeites italianos, um dito “normal”, outro de alho e outro (extremamente) picante.

Com o azeite, veio também pão (feito ali mesmo na cozinha) e dois pedaços de focaccia que serviram como móbil para iniciar a degustação de azeites Frantoio Montecchia.

Abruzzo-ignorante me confesso pelo que pedi auxílio à Stefana para nos guiar nesta viagem!

Tortino di patate

O que temos aqui? Uma espécie de pastel feito com batata, salsicha, espinafre, um creme “aveludado” com parmesão e azeite extra-virgem.

A cada garfada fui envolvendo as diferentes texturas do pastel, do creme, dos espinafres e do… pão que usei para molhar no creme.

Nenhum dos sabores nos é estranho e no entanto todos eles nos remetem para sabores “de casa” e da simplicidade aparente que só as melhores refeições nos conseguem transmitir.

A (in)comparavél pinsa Indiavolata

Qualquer semelhança com uma pizza é mera coincidência! A pinsa é feita com uma massa de uma mistura de farinha de trigo, arroz e soja e levedada por 72 horas! Sim, levedação lenta! É por isso uma massa mais leve e a sua receita remonta aos tempos “do antigamente”!

A indiavolata leva tomate, queijo de búfala , salame picante e pimenta verde. O salame picante merece o devido destaque: é talvez dos salames com maior qualidade que já provei na cidade. Superlativo!

E agora deixem passar os arrosticini

Back to basics: carne e pão e está o manjar feito!

Continuemos a falar de combinações simples como carne e pão em que basta que a qualidade da matéria prima seja condição sine qua non para a satisfação do estômago da Gato. As arrosticini são pequenas espetadas grelhadas em carvão vegetal, um petisco muito tradicional desta localidade.

Provei a mais tradicional, a de carne de ovelha. Suave e suculenta. Com as espetadas vêm também as bruschette com azeite e alho: a Gato desmontou habilmente as espetadas e colocou-as no pão fazendo uma espécie de “prego” à italiana!

E em Abruzzo, o que é que se come de doce?

La Crostata della nonna

A melhor forma de descrever esta sobremesa é como sendo uma tarte feita com creme de pasteleiro, requeijão, rum e canela e que também nos foi recomendada pela simpática Stefana.

Curiosamente (ou não) esta tarte fez-me pensar muitas vezes nas ferraduras (aquele doce que leva canela e erva doce e muito comum para os lados da zona Oeste, a minha) e só por isso me soube a infância!

Em jeito de resumo, saí muito feliz do Bianco Delizioso porque tive a oportunidade de experimentar um novo espaço que tem tudo para dar cartas na cidade. Notem que não se trata de mais um restaurante italiano, mas sim um conceito que traz os sabores ainda desconhecidos de Abruzzo aos comensais lisboetas.

Saí também feliz porque tive o prazer de conhecer uma equipa coesa e muito empenhada no sucesso deste espaço. Entre eles conheci a Pamela, que com apenas 24 anos veio de armas e bagagens para Lisboa para abrir um restaurante. Foi com com um sorriso rasgado nos lábios que me contou um pouco da sua história, agradecendo os elogios e a minha tentativa vã de falar um italiano minimamente inteligível.

Sou uma Gato feliz, porque já sei o que é uma pinsa e porque ouvi dizer que muito em breve vão haver massas frescas no menu!

Podem também ir seguindo a sua conta de instagram para ir estando a par de todas as novidades e ficar a conhecer melhor todo o simpático staff!

A Gato já anda a imaginar qual a próxima pinsa a provar e digamos que a amatriciana me ficou debaixo do olho!

Bianco Delizioso Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Leila Gato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *