A Gato come

Espaço Espelho D’Água – Nova Carta

Um almoço que é uma viagem à mesa pelos sabores quentes de África e do Brasil. Foi assim que me chegou o convite da agência de comunicação Ellephant para provar a novíssima Carta do Restaurante Espaço Espelho D’Água.

O Espaço Espelho D’Água prolonga-se em amplitude e termina com uma esplanada onde o início do Tejo e o fim do chão firme de Lisboa se deixam de conseguir vislumbrar, refletindo-se um no outro.

Se todas as cartas de Amor manifestassem o seu amor da mesma forma que a nova Carta do Espaço Espelho d’Água o manifesta pelas gastronomias africana e brasileira, quereríamos comer todas as cartas de amor do mundo!

Comcemos por ir até ao Brasil…

… embebidos por uma doce e fresca caipirinha de mukua que ficou conhecida durante este almoço, como “a caipirinha que o Principezinho teria bebido se tivesse crescido”. (Mukua é o fruto do Embondeiro: a árvore retratada nas páginas d’O Principezinho e que nos mostra como é preciso ter disciplina para conseguir fazer aquilo a que nos comprometemos).

caipirinha de mukua

E quando chegam empadas que de tão bonitas ficamos com vontade de as contemplar?

Chegou-nos uma tríade de empadas com recheios promissores: moqueca de camarão, caril de frango e vegetais e palmito.

Não me vou alongar na descrição, escudo ímpar, recheio rico, suculento e repleto de sabor. Se me perguntarem qual a minha favorita, a escolha irá recair sobre a de caril de frango.

Se me perguntarem o porquê, direi que foi a que lançou a seta mais certeira no meu coração.

Foi depois a vez de provar dois pastéis típicos brasileiros: de carne picante e de queijo.

Conhecidos pela sua massa estaladiça e mais fina, estes pastéis revelaram-se um dos meus preferidos da carta, sendo os de carne o que mais me entusiasmaram com a dose certa de picante (já sabem que a Gato aprecia comida com bastante picante e tem uma tolerância de referência a este sabor).

E quando estamos no mood de tempuras…

tu provas as de bacalhau e de legumes: fritas no ponto certo sem ponta de gordura e com a dose certa de polme. Curiosamente uma técnica de fritura levada de Portugal para o Japão e para outros países que agora também a acolhem como sua.

E do Brasil a caminho de África:

A primeira vez que ouvi falar sobre “Mufete”

Mufete é um prato tradicional da ilha de Luanda aqui recriado com um toque do Chefe Rui Araújo. Originalmente feito com produtos simples e acessíveis como o peixe galo, no Espaço Espelho D’Água este peixe é substituido por uma fresquíssima garoupa que é acompanhada de feijão de óleo de palma, mandioca, banana-pão, batata doce e farinha musseque.

A riqueza deste prato pobre é a forma com os diferentes sabores e texturas destes alimentos se unem para propocionar uma experiência que nos remete para a terra quente de África em que com pouco se faz tanto, lembrando-nos que na Cozinha, a simplicidade é chave para desevendar os melhores segredos do palato.

Continuando a viagem, percorremos os continentes americano e africanos, passamos sem nunca esquecer as ligações lusas, ligações essas que nos trouxeram as Tagines para a mesa. Primeiro a de…

Roupa velha de bacalhau

Já conhecemos a textura e a forma como estes sabores se envolvem, recriando o prato tão conhecido dos portugueses e que diginifica o termo “sobras” elevando-as a iguaria que reconforta e nos traz memórias caseiras.

Alguém murmurou “moamba”?

Entrou ela majestosa para a mesa, feita de ginguba com galinha de Angola, funje de mistura (mandioca e milho) e “kizaca” de espinafres. Já se apaixonaram só pela descrição, certo? Tinham de lá estar para sentir a força do aroma que invadiu o amplo Espaço do Espelho d’Água.

O funje estava também perfeito com um sabor marcante com fortes notas de milho e que, em contraste com a mandioca, lhe garantiu a consistência certa para suportar o espesso molho da moamba banhado em amendoim.

Depois de tão rico respasto para esta mesa de comensais foi-nos apresentada a”Cozinha do Açúcar” que é como quem diz, a Carta de Amor às sobremesas.

Duo de leite creme queimado: café e baunilha, com telhas de laranja 

Ambos os leite cremes são muito bem conseguidos, tanto em termos de sabor como de apresentação e a simbiose entre a baunilha e o café resulta na perfeição. Sugestão da Gato: experimentem usar a telha crocante de laranja como colher para provar os dois sabores do leite creme ao mesmo tempo!

Arroz Doce Espelho d’Água 

Uma sobremesa “cabeluda” e que suscitou muitos sorrisos à mesa. Cremosa e não muito doce, assim a classifico. Não tendo sido a minha predileta da tarde, é uma sobremesa que recomendo vivamente!

Romeu e Julieta (creme de queijo e nata com compota de goiaba)

Já sabem que sou uma pessoa que come e claro que há coisas que gosto mais e que gosto menos por uma questão de gosto pessoal. Esta sobremesa foi a que me ficou mais afastada do coração por uma razão muito simples: não sou fã de goiaba. Porém, se me perguntarem se é de provar, é sim senhor! Po favor, façam-nos porque as restantes opiniões à mesa foram unânimes.

Bebinca de amêndoa com gelado de ameixa d’Elvas

Bebinca é um bolo feito de amor e paciência: camada a camada. Senti-lhe o sabor do leite de côco e notei os aromas das especiarias da canela, da noz-moscada e do cardamomo. Se não estavam lá, juro que não estou a inventar, mas nisto de comer, por vezes a mente prega-nos partidas.

Consistência densa e perfeita, contrastada com a bola de gelado de baunilha que resulta para lá de bem. Foi a minha predileta: sim acertaram!

Bolo de rolo ao cacau com doce de leite, creme inglês de cardamomo e gelado de nata

As depedidas são sempre difíceis. Ainda mais quando são feitas desta forma tão arrebatadora! E assim percebem qual foi a minha segunda sobremesa preferida do almoço.

O cacau do bolo com o creme inglês fizeram um verdadeiro festim com as minhas papilas gustativas e acho que ainda hoje trago esse sabor à memória.

Se ficaram com água na boca, foi essa a minha intenção ao longo de todo este texto e o meu objetivo foi cumprido com sucesso!

Resta-me agradecer o simpático convite que me proporcionou não só este almoço delicioso como ficar a escolher o renovado Espaço Espelho d’Água que convida a longas permanências à mesa e/ou à esplanada. Notem ainda que se realizam muitos eventos neste lugar dedicados à Cultura e a várias formas de expressão artística que servirão para vosso deleite.

Pena que a Zomato não permite dar 4.5, dou 4 mas com grande potencial para passar a 5 numa próxima visita!

Vemo-nos por lá em breve?

Espaço Espelho d'Água Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Leila Gato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *