A Gato come

Um Brunch de Páscoa que parece saído de um livro da Beatrix Potter!

Já não é a primeira vez que lêem linhas escritas por mim sobre a The Danish Pastry Shop, e isso tem um motivo: é um lugar onde me sinto bem, quase como se fizesse parte da família!

Conheci a The Danish Pastry Shop num feliz evento “Bloggers Camp” através de uma das oradoras, a luminosa Joana Clara que me fez uma belíssima descrição deste lugar.

Em fevereiro fui lá uma primeira vez e assim que conheci o simpático Filipe e o seu lindíssimo espaço, fiquei com vontade de conhecer melhor a sua história e de lá voltar. Uma entrevista para o blog depois, foi a vez do #TorradascomGalão criar a oportunidade perfeita para um regresso (e sobre isso há novidades muito em breve) e agora voltei com uma nova missão: provar o novíssimo Brunch de Páscoa!

Neste lugar, os aromas da doçaria dinamarquesa inspiram brunches temáticos como aconteceu no Halloween e no Natal. Se em fevereiro provei o Brunch dos Namorados, foi agora vez de provar o Brunch da Páscoa. E feita esta breve introdução, passemos à melhor parte: a comida!

De inspiração nos dias frondosos que a Primavera nos oferece e na magia e imaginário próprio da Páscoa, o Brunch chega-nos numa cesta maravilhosa e recheda de pequenas maravilhas.

A que temos direito com este Brunch?

Uma cesta de pães artesanais e caseiros, manteiga e um doce de framboesa. Sobre o pão já vos falei mais que uma vez em partilhas que tenho feito de refeições lá em casa, pelo que sabem que a minha opinião é mais do que positiva! Nesta cesta podem provar pão de trigo, de centeio, de sementes, feitos na The Danish Pastry Shop.

Um ovo “mármore”. De aspeto marmóreo, este ovo cozido, remete-nos para o símbolo máximo da Páscoa e é um elemento perfeito em qualquer brunch!

Bebida quente e sumo natural! Eu optei por sumo de laranja, e como levei o meu Chef privado comigo, ele pediu o de melão e hortelã, que ao que parece estava maravilhoso, tal como o que pedi. Os sumos vêm numas garrafas castiças e em dose mais que suficiente para toda a refeição.

De três opções podemos escolher uma que nos permite personalizar a experiência ao nosso gosto. As opções são:

Røget laks – Salmão fumado caseiro com maionese de ervas
Avocado og ærter – Abacate, ervilhas e maionese de ervas
Hønse salat – Frango, bacon, cogumelos e maionese

Escolhemos salmão fumado caseiro que vem num frasco daqueles “à antiga” e que contrabalança na perfeição com o ovo cozido e uma fatia de pão caseiro.

Além do salmão, pedimos o frasco de frango e que estava igualmente à altura!

Iogurte natural com crumble e compota de framboesa. Pára tudo!! O que é que é isto? Se há coisa que normalmente dispenso no brunch é o iogurte. O que costumo experienciar é que são usados iogurtes de baixa qualidade e adocicados e normalmente são “disfarçados” com muesli “de trazer por casa”. Aqui, temos direito a um iogurte fresco e leve e a um crumble arenoso e doce que no leva para o parapeito de uma janela da cozinha à qual somos levados pelo cheiro que sai de um forno que guarda um tesouro bem escondido. (Infelizmente não o fotografei, mas fiz um vídeo que coloco em breve nas minhas stories!).

Um estufado! Bem-vindos ao mundo maravilhoso de Peter Rabbit! Juro que foi a primeira imagem que me ocorreu quando vi os pratos de estufado. Mais uma vez, nota máxima para a inspiração. De forma a tornar este brunch numa refeição ainda mais “consistente” temos à escolha entre um estufado de carne ou um vegano. Quisemos experimentar ambos. O que nos chega à mesa são dois pequenos jardins saídos do imaginário de Beatrix Potter: uma pequena horta de puré de batata, estufado de carnes ou legumes vários perfeitamente empratados com “terra” (areia feita de pão artesanal cozida no forno durante um dia), pequenos cogumelos, cenoura baby e muito, muito amor.

Vejam lá se não tenho razão!

E porque na Páscoa não pode faltar o Ovo da Páscoa, eis que chega ele!

E se há ovo, tem de haver surpresa também. No seu interior encontramos uma “jóia” doce, um cake pop feito de bolo de chocolate e envolto em chocolate branco.

Neste momento tivemos os dois de nos silenciar durante uns momentos para conseguirmos saborear todos os sabores e recordar todas as memórias de infância que aquele doce nos fez recordar. Além do cake pop, provámos ainda a trufa de chocolate caseira e as amêndoas açucaradas, que são só uma perdição pela capacidade viciante que têm!

E isto tudo por 13€ meus amigos! Sim, leram bem!

The Danish Pastry Shop tranforma-se num lugar encantado para passar algum tempo com os que mais amamos, sejam eles a nossa família ou os nossos amigos. Encontram toda a informação de que precisam, aqui, aqui e aqui.

Se lá forem, não deixei de dar um abraço ao Filipe e à sua Katherine que vos irão receber de braços abertos.

Leila Gato

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *