A Gato come

Pão à Mesa com Certeza – Princípe Real

“Numa casa portuguesa fica bem
Pão e vinho sobre a mesa..”

E na mesa da Gato houve pão, vinho e boa comida portuguesa, com Certeza.

Ainda na reta final de 2018,  houve tempo de conhecer o Pão à Mesa com Certeza. Numa altura em que continuam a fervilhar novos espaços em Lisboa, é reconfortante entrar num restaurante que respira sabores e aromas lusos, transformando um jantar numa bonita (e deliciosa) homenagem às tradições portuguesas sem se perder no passado.

À frente da (e na) cozinha do Pão à Mesa está o Chefe José Lopes (que foi cozinheiro residente do Eleven). Algarvio de gema, reinterpreta nos bastidores deste restaurante pratos típicos portugueses, mergulhando-nos nos produtos tradicionais da sua região e fazendo emergir experiências curiosas.

Assim que entrámos fomos simpaticamente recebidos e convidados a entrar, tendo estado alguns minutos a admirar o espaço. O ambiente de pátio moderno lisboeta, onde vários detalhes decorativos evocam artistas portugueses mundialmente conhecidos, ganha vida ao som de música moderna e descontraída, convidando ao convívio. No entanto, neste pátio cabe também uma decoração intimista com elementos simples mas de muito bom gosto, bem como a cortiça e luzes de cores quentes que convidam a um serão muito agradável noite fora.

Pouco tempo depois foi-nos deixado o couvert na mesa: pão, azeite, manteiga e queijo na dose certa. O pão dispensa apresentações, não é feito na casa (mas há a vontade de mudar essa realidade) mas vem de uma casa já conhecida da restauração de Lisboa – a Gleba. Este é um pão artesanal (servido por exemplo, no Prado) e que se destaca pelo seu sabor mais azedo – e de que tanto gosto. Os restantes atores do couvert apresentaram-se como um ótimo “entretém” para as cenas que se seguiam.

Elegemos o peixe como ingrediente da noite e decidimos provar:

O bacalhau e o cozido do chefe José Lopes

Sim, comemos bacalhau fresco e cozido à Portuguesa no mesmo prato! Querem saber como? Os acompanhamentos deste bacalhau são cozinhados como se de um cozido se tratasse, por isso temos a textura da batata e dos enchidos e do caldo deste preparado misturado com as couves. O que ao início pode parecer uma combinação estranha e até pouco consensual, revela-se numa agradável supresa e numa refeição muito reconfortante.

Peixe do dia (pampo) em xerém de berbigão, algas e coentros

Aquela sensação de estar prestes a mergulhar numa praia ao final da manhã. Foi esta a sensação que tive quando comecei a experimentar este prato. Por mais incrível que pareça, nunca tinha provado xerém, por isso estava muito curiosa tanto em termos de sabor como em termos de consistência. Além do berbigão, destacamos ainda a salicórnia, uma alga bastante comum no Algarve que confere um sabor mais salinizado ao prato e que possui muitas propriedades benéficas para a nossa saúde, começando a ser muito usada fora da zona sul do país.

Nota conjunta para estes dois pratos: a apresentação é exímia revelando grande atenção ao detalhe e à composição dos elementos. Sim, os olhos também comem, principalmente quando nada é deixado ao acaso no prato, como aconteceu no Pao à Mesa com Certeza.

E de sobremesa… não resistimos e pedimos o pudim abade de priscos

Por ser fã do pudim do Rei Miguel Oliveira, é difícil fazer um justo julgamento sempre que provo um pudim feito por outras mãos, mas a criação de José Lopes revelou-se um “concorrente” à altura embora com características distintas. Comparando os dois, a consistência deste é mais densa, não se apresenta translúcido nem tão intenso. Ao invés, destacam-se as notas cítricas próprias da inclusão destes frutos na preparação deste doce e do modo como o acompanham, naquele que é um piscar de olhos às raizes do Chef. O elemento surpresa: este pudim é servido com uma fatia de presunto “trabalhada” que, quando saboreada juntamente com os restantes elementos, surpreende e intriga o nosso palato.

Se não ficou claro para o leitor, não deverá tardar até voltar a este espaço. Entre outros, ficou-me o polvo “debaixo de olho” mas deixei-me levar pela sugestão que me foi feita, pelo que para a próxima não me escapa.

Se recomendo o Pão à mesa? Vivamente! Acho que a cozinha do Chef José Lopes tem identidade, firmeza e qualidade com espaço para crescer e é uma ótima oportunidade de o registar e perceber in loco. O Pão à Mesa é um excelente restaurante na zona do Princípe Real que não devem deixar de conhecer.

Uma nota final: embora dê um 4 na escala da Zomato, a vontade é dar um 4,5. Como a Zomato não permite atribuir estes “meios pontos” deixo apenas a consideração para vos mostrar que realmente se tratou de uma experiência acima da média.

Pão à Mesa com Certeza Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Leila Gato 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *