A Gato fala com...

Miguel Oliveira aka o Rei do Pudim Abade de Priscos

A Gato ficou curiosa e quis conhecer melhor este membro da realeza da doçaria portuguesa. O Miguel Oliveira tem tanto de talentoso como de humilde e aceitou abdicar de alguns minutos dos seus atarefados dias para responder a algumas perguntas.

Tive de ir até Arouca (mais precisamente aqui) para conhecer este doce tradicional português premiado e feito com muito amor, mal sabia eu que ele já é vendido em tantos lugares de destaque como o JNCQUOI, oTágide, o Lado B, o Pigmeu, o Pedestre 142, Sem Dúvida, Solar do Bacalhau, Saraiva’sO Açude, Mugasa, Casa Lindo, entre tantos outros.

É caso para dizer, Viva o Rei!

Porquê o pudim abade de Priscos?

O Pudim Abade Priscos fascinou-me pela dificuldade em conseguir fazê-lo bem, como já dizia o seu criador, “é fácil de fazer mas muito difícil de acertar”.

Tem ideia de quantos pudins já fez?

Seguramente uns milhares de Pudins!

A receita que seguem tem algum toque pessoal?

A minha receita é igual à receita pública do Abade, com a particularidade que em todos os processos de feitura do Pudim, a parte intuitiva marca pela diferença, o meu Pudim é feito com todos os 5 sentidos sem recurso aos métodos tradicionais de pastelaria.

O que destaca o seu pudim, de qualquer outro?

O meu Pudim destaca-se por 3 fatores, o sabor equilibrado, a textura e a aparência, diria numa palavra que é mágico!

O que mudou desde que foi premiado?

Quando o meu Pudim venceu o concurso de gastronomia Portuguesa A Mesa dos Portugueses, tudo mudou, com a grande visibilidade nos órgãos de comunicação social, a partir daí começaram as encomendas vindas da família e amigos, depois nos restaurantes da rua e agora por todo o País.

Quais os pontos de venda do seu pudim em Portugal?

Podemos encontrar o Pudim do Abade de norte a sul de Portugal, em espaços de referência e de grande notoriedade a nível gastronómico.

E agora um pouco sobre o Miguel, como descobriu a sua vocação?

A minha paixão pela culinária começou muito cedo desde tenra idade, considero-me um autodidata por excelência , que passa longas e felizes horas na cozinha, na procura dos saberes e dos sabores, mormente da nossa riquíssima gastronomia Portuguesa.

Se pudesse oferecer o seu pudim para dar provar a uma personalidade, a quem seria?

Se pudesse oferecer o meu Pudim a uma personalidade, a minha escolha seria sem dúvida para o Manuel Joaquim Machado Rebelo, um grande Cozinheiro do século XIX, mais conhecido por Abade de Priscos.

E de repente, uma bola de berlim com creme de pudim abade de Priscos? Como surgiu a ideia? E mais importante onde e quando podemos provar?

As Bolinhas do Abade são muito mais que bolas de berlim… a minha inspiração para a criação das Bolinhas do Abade, foram obviamente as tradicionais bolas de berlim, estando a grande diferença no seu recheio que, a nível de sabor e magia, são uma réplica fidedigna do abençoado Pudim.
Brevemente as Bolinhas do Abade irão adoçar a boca e o coração dos Portugueses…

Proust, desculpa mas vou roubar-te 5 perguntas:

1. O que mais aprecia nos amigos? Lealdade.
2 Qual o seu passatempo favorito? Cozinhar para os amigos.
3 Que talento natural gostaria de ter? Poder fazer um Pudim do Abade num abrir e fechar de olhos…
4 Qual o seu lema favorito? Autenticidade e simplicidade, sempre!
5 Qual a sua noção de felicidade? Estar na minha cozinha a produzir Pudins do Abade e a ouvir Mozart.

Podem seguir o trabalho do Miguel também através do seu Instagram.

Leila Gato 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *