A Gato come

Saikō ou a vã glória de comer (e opinar)

Há mais de um mês atrás fomos ao Saikō, um restaurante que respira equilíbrio, harmonia e calma.

O minimalismo da decoração do espaço coabita com a teatralidade ponderada da apresentação dos pratos que nos vêm parar a mesa. Também o serviço deve ser referido pois merece uma nota muito acima da média em termos de atenção e simpatia.

Hotate a Saikō ou Vieiras Prime salteadas na chapa, molho cítrico do Chef, micro ervas e ovas

Para quem gosta de vieiras este é daqueles que se tem de pedir sempre. A apresentação do prato é muito feliz, parece um pequeno bouquet de onde brotam as bonitas vieiras a sorrir para nós.

Depois de terminar este prato não tive como não achar que lhes faltava algo, talvez um pouco mais de sabor conferido pelos restantes ingredientes que compunham este quadro tão, mas tão bonito.

Gunkan especial fire – salmão, picadinho de salmão com queijo creme, amêndoas laminadas e molho taré


Uma das melhores surpresas da noite! Não só por vir a arder, literalmente, mas porque estavam realmente bem moldados. O contraste do sabor do salmão fresco e braseado no momento é inigualável e fez subir, e muito, as expetativas para o que estava por vir.

Combinado do Chef Saiko Ni

35 peças para desfrutar. Frescura dos ingredientes incontornável mas uma nota menos positiva para a respetiva apresentação. Um combinado com esta qualidade merecia um empratamento mais cuidado e espaçoso para deixar todos as peças “respirarem” e deixarem-se comer só de olhar para elas.

Algumas das peças estavam muito acima da média, mas outras situavam-se na mediana (face ao valor e qualidade dos ingredientes), o que me fez ter “mixed feelings” em relação ao pedido.

Gunkan egg – salmão breaseado, ovos de codorniz, cebolinho, molho taré e ovas

Quando vamos a um japonês costumamos pedir sushi como sobremesa, desta vez quisemos fechar com um clássico a que não resistimos: o gunkan egg. Aqui a nota ficou aquém do esperado: encenação e empratamento perfeitos mas a explosão de sabores na boca acaba por ser menos rica do que antevíamos.

Vou dar uma segunda oportunidade ao Saíko porque a matéria-prima, o cuidado posto nos vários estádios da refeição e o serviço merecem uma nota ainda mais positiva. Ir apenas uma vez a um restaurante não é para mim uma forma de o avaliar corretamente, até porque tenho de destacar que algumas das peças provadas estavam realmente acima da média.

É um restaurante acima da média mas ainda com espaço para melhorar.

Infelizmente fui informada que o Saikō do Campo Pequeno fechou, mas há ainda o do Estoril, que podem visitar, eu tentarei fazer o mesmo !

 

Leila Gato

2 thoughts on “Saikō ou a vã glória de comer (e opinar)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *